Gordura sem medo : NIna TeicholzJá tinha por aqui referido este livro, estando incluído nas minhas leituras recomendadas

Não posso no entanto deixar de destacá-lo, não só porque vou a meio do mesmo 😉 , mas sobretudo por estar simplesmente fascinado com a quantidade e qualidade da informação disponibilizada. O tema é sobretudo o desmistificar e explicar o medo da gordura, sobretudo a saturada. Nina Teicholz explica, de forma acessível e directa, com referências históricas / de época e contextualizando ao longo do tempo, o porquê de se terem criado tantos Mitos, os “estudos”epidemiológicos (baseados em estatísticas e questionários) cuja interpretação (por vezes até manipulada) estiveram na origem dessas ideias, as razões pelas quais políticos e até outros académicos se apoiaram nesses estudos e foram “silenciando” vozes discordantes… Os estudos científicos sérios financiados para tentar provar essas teorias e cujos resultados foram frequentemente contraditórios ou pouco conclusivos e por isso “eaquecidos”ou parcialmente revelados / manipulados…

Sabem quando nos apercebemos que vivemos numa mentira e constatamos que estamos tão envolvidos na mesma que é preciso um enorme acto de coragem para vir a público assumir que o que afirmarmos e defendemosi por tanto tempo estava errado?!

Conseguem perceber que governos que há décadas instituíram directrizes alimentares que entretanto se descobre terem contribuído para aumento de obesidade, doenças metabólicas (Diabetes tipo 2 a mais expressiva) e cancro, terem dificuldade em abertamente contradizer esse discurso?

O Governo Norte Americano periodicamente revê as suas directrizes… Em 2015 discretamente retirou a recomendação à restrição de gordura na dieta. Até aí estabelecia um “limite”. As referências a essas mudanças perdem-se num documento de mais de 500 páginas!

 

O porquê do ênfase inicial no Colesterol Total como referência / marcador de risco cardíaco e o porquê da sua substituição pelo LDL (variadíssimos estudos apontam o HDL como mais eficiente predictor de risco, mas apesar de terem sido investidos milhões em pesquisa, não foi AINDA possível desenvolver uma droga que aumente o HDL…mas existem as estatinas que têm efeitos redutores no LDL… 😉)

PS: Curiosamente sabe-se que o nutriente que tem directamente influência no aumento de HDL é a gordura saturada…ainda mais que o exercício físico…

 

Entre tantos outros assuntos…O porquê de para as mulheresmaior redução de LDL estar associada com AUMENTO de risco cardiovascular (vários grandes estudos vieram trazer essa surpreendente relação). Contextualizar que até cerca do ano 2000 a esmagadora maioria dos testes / estudos tinha homens como “pacientes” e as conclusões eram generalizadas, sem ter em conta as diferenças metabólicas entre os sexos…

Eu pensava já estar muito esclarecido sobre o tema, mas descubro mais e mais informação, de uma forma clara, objectiva, apoiada em factos, referências a estudos, publicações, etc… Nina Teicholz é uma jornalista de investigação premiada, que após esse livro sofreu autêntico “bullyng” de várias origens, mas conseguiu refutar e combater (inclusivé em tribunal), acusações de que foi alvo… Há verdades que são verdadeiramente “incómodas”… 😉Gordura saudável...

 

Nina Teicholz é uma é jornalista de investigação científica, publicando regularmente em prestigiadas publicações internacionais. Este livro foi resultado de 9 anos de investigação e pesquisa.

The Big Fat Surprise foi nomeadao em 2014  * Best Book * pelo “The Economist”, pelo “Wall Street Journal”, pela “Forbes”, pela “Mother Jones” e pelo “Library Journal”.

Os textos de Teicholz também foram publicados no “The BMJ”, no “The New York Times”, no “The Wall Street Journal”, no “The Atlantic”, no “The Independent” e no “The New Yorker”, entre outros. Além disso, Teicholz é diretora executiva da The Nutrition Coalition, um grupo sem fins lucrativos que promove políticas nutricionais baseadas em evidências. Ela testemunhou perante o Senado canadense e o Departamento de Agricultura dos EUA sobre a necessidade de reforma das directrizes alimentares.

 

SINOPSE do livro (disponível no original em inglês e traduzido em português do brasil)

Há décadas nos dizem que devemos cortar o consumo de gorduras e que, se não estamos nem mais saudáveis nem mais magros, é porque não nos esforçamos o suficiente. Mas será que o problema não é a própria dieta de baixo teor de gordura? Será que não são as comidas que evitamos a qualquer preço — queijos, ovos, bifes suculentos — que vão nos ajudar a reduzir os índices de obesidade, as doenças cardíacas e o diabetes?Depois de uma longa investigação que durou nove anos, a jornalista Nina Teicholz revela o impensável: tudo o que nos disseram sobre a gordura era mentira.Esta narrativa vibrante nos apresenta indícios decisivos que viram de ponta-cabeça, de uma vez por todas, as noções convencionais sobre a gordura na alimentação, permitindo-nos enfim trazer de volta esses alimentos deliciosos.

O livro esmiúça a história da gordura na alimentação ocidental com base em pesquisas, números e fatos, para defender uma tese provocativa: a gordura foi injustamente vilipendiada. Nina diz que a diminuição do consumo de gordura por recomendação médica contribuiu para a epidemia de obesidade e de diabetes do tipo 2 (aquela adquirida por hábitos alimentares) nos Estados Unidos e em outros países.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here