PRIMAL / PALEO à nossa maneira…

individualidadeAcho extremamente importante a noção de que não somos todos iguais, não reagimos da mesma maneira!

Todos temos características diferentes, particularidades fazem de nós seres únicos. Doenças auto-imunes, alergias e sensibilidades alimentares (FODMAP’s e outros), alterações genéticas, etc.

É evidente que sendo todos seres humanos, existem bases de fisiologia e metabolismo que são comuns a todos e conheçê-las é útil e quase incontornável na definição de estratégias de nutrição e estilo de vida, sejam para saúde, sejam para um processo de emagrecimento. Salvo raras excepções genéticas, a acção / influência da insulina  e cortisol, (e outros factores menos destacados) na obesidade, é a mesma em todos nós. É útil sabermos como funciona o nosso metabolismo para melhor podermos optimizar as nossas opções, as nossas estratégias (vocês já repararam que gosto desta expressão 😉).

A razão por que abomino recomendações de planos alimentares, ementas e “receitas semelhantes” é que a maioria das pessoas não entende que não existem planos que sirvam simultaneamente a todos. Nutricionistas sérios (mesmo os Primal / Paleo) não “sacam” de uma cópia de um plano que para lá têm guardado e aplicam-no a todos os “clientes” / pacientes…

Na definição de uma Dieta, seja feita por um profissional da área da saúde, ou por nós próprios (de preferência com alguns conhecimentos que permitam distinguir as melhores opções e combinações de alimentos), há que ter em conta a individualidade, as características únicas e necessidades específicas de cada qual… os próprios gostos e paladares são importantíssimos para essa definição.

Com um leque de opções tão vasto de bons alimentos, não há razão para me obrigar a consumir alimentos que não aprecio, só porque são “super alimentos” ou muito recomendados no meio Primal / Paleo!

Uma dieta de sacrifício não resulta e é fundamentalmente por isso (e obviamente por razões metabólicas / fisiológicas) que dietas restritivas baseadas em cozidos e grelhados, carnes e peixes magros e vegetais cozidos, não tem sucesso a médio / longo prazo e provocam o desânimo e abandono (falei sobre isso aqui). Se estão em Grupos Primal / Paleo / Ancestral já sabem bem que não é esse o caminho 😉

Acontece no entanto que o nosso paladar e opções mudam com o tempo e exposição a novos alimentos. Quando restringimos progressivamente mais os açucares / hidratos, vamos modificando o nosso “sentido do doce”… cada vez necessitamos de menos doce para ter prazer nas “sobremesas”. Deixar de ter medo das boas gorduras (que conferem mais sabor e textura aos alimentos) também nos abre “horizontes” para novas sensações gustativas. São frequentes os casos de pessoas que não toleravam abacate (e não se “obriguem” a comer, por favor…😉) virem a descobrir tempos mais tarde que afinal pode ser um excelente ingrediente / acompanhamento para acrescentar a alguns pratos. Também o fígado e outras carnes de órgãos não são frequentemente consumidos (e esses sim são o mais perto que temos de verdadeiros “super alimentos”), seja por questões de gostos pessoais, ou por má informação, visto associarem fígado e rins a receptáculos de toxinas, por serem os órgãos responsáveis pela filtragem, quando essa ideia é simplesmente mais um mito 😉 (a seu tempo também falarei sobre esse… ).

Em resumo:

  1. Mantenham uma mente aberta. Aceitem que muito do que “ouvimos dizer” nas últimas décadas está errado ou assenta em lugares comuns sem base científica. São Mitos!
  2. Procurem aumentar a vossa base de conhecimento e perceber “o porquê das coisas”. Conheçam como funciona o vosso corpo, os processos digestivos e metabólicos, as reacções hormonais… (pelo menos o básico, calma, não precisam de tirar um mestrado em fisiologia humana…😊)
  3. Percebam que o caminho para o sucesso dos vossos objectivos é adaptar o conhecimento e as boas opções às vossas características individuais. As vossas escolhas são isso mesmo: VOSSAS!
  4. Assumam a responsabilidade pelas vossas escolhas. A melhoria da vossa saúde está fundamentalmente nas vossas mãos.
  5. Não somos ilhas. Não vivemos em isolamento e não temos de “enfrentar” uma reeducação alimentar sozinhos. Quando fazemos opções que se encontram quase em “colisão” com as “crenças” vigentes, vamos enfrentar críticas e “avisos” “solidários” de quem acha que estamos num mau caminho. Quando mesmo familiares e amigos não nos encorajam (pelo menos até se surpreenderem com os resultados…), não é fácil manter a motivação / determinação neste caminho. Para isso a convivência com pessoas que seguem a mesma orientação, “perseguem” os mesmos objectivos é extremamente benéfica. A partilha de experiências, sucessos ou mesmo dificuldades e angústias, pode ser extremamente motivador. Juntem-se a comunidades positivas e dinâmicas (mesmo as virtuais) e ajudem-se mutuamente. O sentimento de pertença é poderoso!

Deixem-se influenciar mas mantenham a vossa individualidade essencial. Façam a PALEO À VOSSA MANEIRA (mas por favor, com um mínimo de conhecimento e base fisiológica real). 🙂

Print Friendly, PDF & Email

More from author

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Related posts

Advertismentspot_img

Latest posts

Óleos Vegetais industrializados. Um “veneno” moderno?

É do conhecimento comum, informação "básica" para todos os que praticam estas opções de "Dieta" Primal / Paleo, que os óleos vegetais, extraídos de...

2020 | Ainda mais resoluções para o Ano Novo

2020... Ainda mais resoluções de Ano Novo Todos os anos, bem perto do “finalzinho” do ano que termina, enchemo-nos de força de vontade indomável e...

NUTRIRevolução | São os carros, não as vacas

Há várias décadas que "crescemos" a ouvir que o consumo de carne vermelha, ou no mínimo o excesso de consumo de carne vermelha seria prejudicial à nossa saúde... será mesmo assim?

Want to stay up to date with the latest news?

We would love to hear from you! Please fill in your details and we will stay in touch. It's that simple!

Print Friendly, PDF & Email