Que me perdoem as senhoras… mas entre outras coisas, serve para demonstrar, uma vez mais, que existem diferenças metabólicas significativas, entre homens e mulheres. Homens têm mais facilidade em perder peso (as nossas mulheres detestam isso), o que significa que as senhoras têm de se esforçar um pouco mais… em compensação as senhoras são muito mais disciplinadas e os homens mais sujeitos a deslizes… 😉

Saiu um artigo ontem, dia 8 de Agosto, no site Science Daily que salienta essas diferenças, em conclusões preliminares.  Em um estudo de mais de 2.500 indivíduos com excesso de peso e pré-diabetes, que seguiram uma dieta hipocalórica (não Low Carb) durante 8 semanas, os homens perderam significativamente mais peso corporal que as mulheres e tiveram maiores reduções no “Score” de síndrome metabólica, indicador de diabetes, massa gorda e frequência cardíaca.

 
O estudo de intervenção de estilo de vida PREVIEW (ClinicalTrials.gov Identifier: NCT01777893) é, até à data, o maior estudo multinacional sobre a prevenção da diabetes tipo 2. A hipótese submetida a estudo seria de que uma dieta inicial de baixa energia fixa (LED) induziria diferentes resultados metabólicos em homens versus mulheres (o que se viria a confirmar).
 
Todos os participantes seguiram um LED (3,4 MJ / 810 kcal / dia) por 8 semanas (Cambridge Weight Plan). Os participantes foram recrutados em oito locais na Europa, Austrália e Nova Zelândia. Os elegíveis para inclusão eram indivíduos com excesso de peso (IMC ≥ 25 kg / m2) com pré-diabetes, de acordo com os critérios da ADA. Os resultados de interesse incluíram alterações na resistência à insulina, massa gorda (FM), massa livre de gordura (FFM) e síndrome Z metabólica.

Após o período de intervenção, a perda de peso foi 16% maior em homens que em mulheres (11,8% vs 10,3%, respectivamente), mas as melhorias na resistência à insulina foram semelhantes.

As mulheres por seu lado apresentaram maiores reduções no HDL-colesterol, circunferência de quadril, massa corporal magra (ou massa livre de gordura) e pressão de pulso do que os homens. “Apesar de ajustar as diferenças na perda de peso, parece que os homens beneficiaram mais da intervenção do que as mulheres. “Se as diferenças entre os gêneros persistirão a longo prazo e se precisaremos projetar diferentes intervenções dependendo do gênero será interessante…”, disse o autor principal Dr. Pia Christensen, da Universidade de Copenhague, na Dinamarca. “No entanto, a dieta de 8 semanas de baixa energia em indivíduos com pré-diabetes resultou na perda de peso inicial de 10% necessária para alcançar uma grande melhora metabólica na primeira fase de um programa de prevenção de diabetes“.

Referir no entanto que a Dieta deste “experiência” não foi de todo Low Carb, nem baseada em alimentos verdadeiros e sim em saquetas, destinadas a “facilitar” o controle dos testes A composição de macronutrientes do LED foi a seguinte: 43,7% de energia total de proteína, 41,2% de energia total de carboidratos e 15,1% de energia total de gordura.

A diabetes mellitus tipo 2 é uma das doenças crônicas de mais rápido crescimento no mundo. Globalmente a comunidade médico cientista está ciente dos principais fatores de risco, incluindo excesso de peso ou obesidade, e sabe que alcançar a perda de peso “previne diabetes” no sentido de que o início de novos casos é retardado (mas continua a minimizar a influência que a redução de carboidratos tem na reversão da doença). O artigo mais recente explorando o efeito dose-resposta da perda de peso mostra que mais de 4,3% de perda de peso é necessária para prevenir diabetes, por 3 anos, em homens japoneses.

O estudo de intervenção PREVIEW (Prevenção do diabetes através de Intervenções de estilo de vida e estudos populacionais na Europa e no mundo) é, até hoje, o maior estudo multinacional que visa prevenir o diabetes tipo 2 em indivíduos com sobrepeso e pré-diabetes. Dieta e atividade física são utilizadas, com as mudanças sendo reforçadas por técnicas de modificação de comportamento. O estudo é um estudo controlado aleatório, multicêntrico, de dois anos, em andamento, no qual os adultos elegíveis inicialmente seguiram uma Dieta de baixa energia (LED) de 8 semanas. O objetivo foi induzir a perda de peso de pelo menos 8%, a fim de qualificar para inclusão na intervenção randomizada, onde o foco está na manutenção da perda de peso a longo prazo.

Para informações bem mais detalhadas sobre o estudo e metologia, podem clicar aqui:

Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here