“Eu ser paleo, é um estilo de vida que vai de acordo com o que eu acredito, não é algo que desejo, mas é algo que eu simplesmente sou.”

Existem algumas pessoas, no panorama nacional do “esforço” de divulgação do estilo de Vida Paleo / Primal, que se destacam, pela sua capacidade de inspirar, motivar e “comunicar a nossa mensagem”. São pessoas que conquistaram a afeição e confiança da comunidade Paleo / Primal e são frequentemente apontadas como referência e exemplo…

NUTRIrevolução convidou algumas dessas pessoas a partilharem conosco um pouco da sua “história” e experiência nestas opções “alternativas” de alimentação e modo de vida…

PERFIS PALEO

Hoje vamos conhecer um pouco melhor a MÁRCIA PATRÍCIO… A Márcia praticamente dispensa apresentações. Autora do Blog “Os Temperos da Argas | Paleo”, tem-nos há vários anos presenteado com fantásticas receitas adaptadas à Paleo. Quem não conhece o famoso “Pão Alentejano da Márcia”? Nas suas versões manuais e para MFP (Máquina de fazer pão)…

A Márcia também se tem destacado pelo seu empenhamento em actividades de esclarecimento nas escolas, aproveitando o Dia da Alimentação. Numa evolução mais formal desses “movimentos”, propõe-nos o seu projecto “Raízes Paleo”

Com este projecto a Márcia lança-nos o desafio de falar com professores e educadores dos nossos filhos e os convencermos a adoptarem a sua sugestão integrando-a em uma SEMANA DA ALIMENTAÇÃO.

As Argas…

A Márcia vive num ambiente extremamente salutar, junto à terra, às raízes, em contacto directo com produtores e criadores e isso sem dúvida inspira-a a regularmente propôr-nos fantásticas receitas, onde os ingredientes frescos, absolutamente não processados, resultam em receitas honestas, terra-a-terra, feitas com o coração e que nos falam ao nosso. Não esperem Gourmet elaborado. “Apenas” sabores intensos e comida verdadeiramente “de conforto”

Eu partilho o que como e o que gosto de comer, logo as receitas no meu blog são um espelho da minha pessoa. Se algo comprovadamente faz mal (como os óleos refinados, o açúcar refinado) eu não vou utilizá-los para cozinhar para mim ou para as pessoas que amo, e logo não os irei recomendar a vós, pessoas que me seguem e confiam no que eu vos escrevo.

Eu ser paleo, é um estilo de vida que vai de acordo com o que eu acredito, não é algo que desejo, mas é algo que eu simplesmente sou. E se o sou porque acredito com base em evidências, obviamente que para quem eu amo é com base nisso que vou cozinhar, pois para quem amo desejo o melhor.

Para quem acompanha o blog é com isso que pode sempre contar, partilhas honestas, fundamentadas, feitas com conhecimento e amor. Uma cozinha que é um reflexo da argas”

A Márcia tem disponível no seu site uma Loja da Argas e serviços de Consultoria Paleo:

Um serviço de consultoria para empresas que necessitem de ajuda no desenvolvimento de receitas ou ementas que se adaptem ao estilo de vida Paleo / Primal.
Este serviço inclui: Receita / Ficha Técnica / Análise Nutricional / Recomendação de ingredientes a utilizar de acordo com o conceito Paleo
Este serviço surge pois a consciencialização por uma alimentação saudável está a aumentar, sendo que cada vez mais o cliente procura bons produtos para consumo fora de casa!

ENTREVISTA

  • Quando consideras que iniciaste a tua “descoberta” de um estilo de vida e nutrição Paleo / Primal (ou a “tua” forma de descrever o que segues)?

“Na realidade, a minha alimentação e estilo de vida foi progressivamente aproximando-se da Paleo mesmo antes de eu conhecer este conceito. A retirada de aditivos e processados foi surgindo de modo progressivo, essencialmente em resultado do que fui aprendendo no decorrer da minha licenciatura – Engenharia Zooténica. No meu curso aprendemos os “podres” da indústria alimentar e tornou-se impossível incluir na minha alimentação alguns desses produtos sabendo da existência de alternativas.”

  • Quais foram as tuas motivações? O que provocou o “click”?

“O click final que me trouxe à paleo foi a saúde. Li bastante acerca de uma das minhas condições autoimunes: tiroidite de Hashimoto. Esta condição surgiu-me após o parto da minha filha mais velha e, para quem não conhece, tem como sintomas o aumento de peso, metabolismo lento e, o pior de tudo para mim, uma espécie de confusão mental à qual chamo de “nuvem negra”. Esta condição coloca-nos numa espécie de “depressão” da qual parece impossível fugir. E aqui surgiu a paleo, comecei a ler em vários artigos e testemunhos o efeito da retirada do glúten nesta condição e, sem nada a perder, e com o apoio da minha família, avançámos para a paleo em conjunto e sem medo.”

  • Como descreves os primeiros tempos? Foi díficil a “mudança” de opções?

“Foi maravilhoso. Passados poucos dias, creio que cerca de 10 dias, a nuvem negra tinha desaparecido, sentia-me bem como não me sentia há anos! Foi extremamente fácil retirar da minha vida aquilo que me faz mal. Actualmente gosto de comparar com o fogo. Se sabemos que o fogo queima, não vamos colocar a mão na chama, não é verdade? Se sabemos que o glúten e aditivos nos fazem mal, porque é que nos iremos prejudicar?”

 

  • Sentiste que as “tuas pessoas”, quem tinhas à tua volta, familiares, amigos, colegas, foram aliados ou trataram-te como um ET? 😊

“O meu núcleo, ou seja, marido e filhas. Seguem comigo, sempre! Os meus familiares têm dificuldade em compreender onde estão os ingredientes prejudiciais mas, no geral, aceitam ou, simplesmente, ignoram-me e deixam-me fazer a minha cena :)”

  • Quando tiveste a “certeza” de que estavas no “caminho” certo? E quando as pessoas à tua volta se “renderam” à evidência (se aconteceu…)?

“Imediamente, como disse, a paleo é o estilo de vida que mais sentido me faz.”

  • Tens algum “episódio”, alguma “história” engraçada / diferente / marcante, de que te lembres, relacionada com estas opções de vida?

“Nestes anos já aconteceram várias histórias marcantes. Vou partilhar contigo a mais recente. A minha filha mais nova (tem 4 anos) luta por seguir uma alimentação paleo mas com dificuldades a resistir a tudo o que é oferecido em diversas situações e que é doce e saboroso. Tento educar sem pressão, para que ela não tenha nenhum sentimento negativo em relação a uma alimentação saudável e muito disso passa por explicar-lhe os porquês. Há uns dias perguntou-me porque é que o glúten me fazia mal agora, se quando eu era pequena não fazia. Esta pergunta é, na verdade, a pergunta que muitos adultos fazem “se sempre comi e não me fez mal, porque é que faz agora?”. É uma pergunta complexa e profunda e, sem medo, expliquei que, na verdade, são muitos os factores que influenciam, mas que exactamente por ter comido durante muitos anos sem restrições, tenho este problema actualmente. Moderação e dias de excepção é a palavra de ordem.”

  • Em quase todos que sentiram grandes benefícios nesta mudança de opções, surgiu um desejo altruista de partilhar com as outras pessoas estes benefícios. Algumas pessoas, como tu, fazem os possíveis por divulgar o “conceito”, por vezes às custas de algum tempo para a família ou lazer… O que te motiva para tal? O que “te move”?

A paleo não é apenas o que comemos, é um sentimento de comunidade, de entreajuda. Somos uma pequena tribo e só conseguiremos viver se abrirmos os braços para ajudar o próximo e para que este nos ajude quando formos nós a precisar.

  • Tens feito um extraordinário trabalho, quer na divulgação das melhores opções e sugestões de estilo de vida activo e saudável, quer pela motivação das pessoas que te seguem. Que novos projectos / planos tens para continuar esse “trabalho” em 2019?

“Eduardo, tenho muitos projectos para 2019. Na verdade, toda a minha vida, de algum modo gira em torno da paleo. Desde a minha empresa, ao blog, como aos diversos projectos que estou a preparar e que irão surgir a seu tempo.

Quero, por fim, agradecer por te teres lembrado de mim para este teu projecto. Não tendo as mudanças físicas drásticas de algumas das outras pessoas que entrevistaste, posso afirmar que a Paleo me trouxe serenidade e um bem estar que não pensei possível e que continua a melhorar. As melhorias ao nível da tiróide foram enormes e são, efectivamente, o que me motiva a “não colocar a mão no fogo”.”

Obrigado, muito sucesso e votos de um Feliz 2019 para ti e todos os leitores do teu blog.”

Não obstante esta pequena apresentação, não há duvída que a melhor forma de realmente conhecermos a Márcia é seguindo o seu blog, “partilhando com ela” os seus passeios pelos bosques, as suas colheitas de medronhos e outros frutos silvestres que depois generosamente partilha connosco através das suas receitas…  😉

PERFIS ANTERIORES:

A não perder os anteriores Perfis (disponíveis nos links abaixo), para ficar a conhecer um pouco melhor gente tão inspiradora…

Suzana Cardoso –  Sejam saudáveis, sejam felizes
Liliana Bento – Ser Feliz, Ser Paleo
Joana Franco e Abreu – 3 para as 2
Marta Simões – Na Caverna da Marta
Evans AC – Doceira Diabólica ou Musa Inspiradora?!

 

Print Friendly, PDF & Email

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.