CafeínaO consumo de cafeína tem sido associado a redução de riscos em várias doenças, incluindo Diabetes tipo II, Doença Cardíaca e Acidente Vascular Cerebral, mas os mecanismos subjacentes a esses efeitos protetores não é ainda claro…

Um novo estudo veio mostrar que a cafeína promove o movimento de uma proteína reguladora para as mitocôndrias, melhorando sua função e protegendo as células cardiovasculares de danos. Este trabalho, publicado em 21 de junho na revista de acesso aberto PLOS Biology, por Judith Haendeler e Joachim Altschmied da Faculdade de Medicina da Heinrich-Heine-University e pelo Instituto de Pesquisa de Medicina Ambiental da Universidade de Dusseldorf, na Alemanha, descobriu que o efeito protetor foi alcançado em uma concentração equivalente ao consumo de quatro chávenas de café, sugerindo que o efeito pode ser fisiologicamente relevante.

Resta saber se essas descobertas acabarão por ter realmente algum impacto sobre seres humanos, uma vez que este estudo alcançou resultados com testes em ratos, não em humanos, no entanto Joachim Altschmied que liderou o estudo com sua colega Judith Haendeler, diz que “a velha ideia de que não deveriamos tomar café se temos problemas cardíacos, claramente não se aplica… ”.

Outras pesquisas anteriores haviam sugerido isso mesmo. A título de exemplo, um relatório de 2017 da “Annual Review of Nutrition” (Revisão Anual de Nutrição), que analisou os resultados de mais de 100 estudos de café e cafeína, descobriu que o café estava associado a uma provável redução de risco de doença cardiovascular – assim como de diabetes tipo 2 e vários tipos de cncro.

Os autores do presente estudo, mostraram anteriormente que em concentrações fisiologicamente relevantes (níveis alcançados após quatro ou mais chávenas de café) a cafeína melhorou a capacidade funcional das células endoteliais, que revestem o interior dos vasos sanguíneos e que o efeito envolveu mitocôndrias, as fontes de energia da célula. Neste estudo eles mostraram que uma proteína chamada p27, conhecida principalmente como um inibidor do ciclo celular, estava presente nas mitocôndrias nos principais tipos de células do coração. Nessas células, a p27 mitocondrial promoveu a migração de células endoteliais, protegeu as células do músculo cardíaco da morte celular e desencadeou a conversão de fibroblastos em células contendo fibras contráteis – todas cruciais para a reparação do músculo cardíaco após o infarto do miocárdio. Estes cientistas descobriram ainda que a cafeína induziu o movimento de p27 na mitocôndria, desencadeando essa cadeia de eventos benéficos e o fez em uma concentração que é alcançada em humanos, ao beber as quatro chávenas de café. A cafeína protegia contra danos no coração em ratos obesos pré-diabéticos e em ratos idosos. “Nossos resultados indicam um novo modo de ação para a cafeína”, disse Haendeler, “que promove a proteção e reparação do músculo cardíaco através da ação da p27 mitocondrial. Estes resultados devem levar a melhores estratégias para proteger o músculo cardíaco de danos, incluindo a consideração de o consumo de café ou cafeína como um fator dietético adicional na população idosa. Além disso, o aumento da p27 mitocondrial poderia servir como uma estratégia terapêutica potencial não apenas nas doenças cardiovasculares, mas também na melhoria da saúde.

Os pesquisadores sugerem que beber café – ou outras bebidas com cafeína – pode ser particularmente benéfico para os idosos, que correm mais risco de ter problemas cardíacos do que os mais jovens.Cafeína

Num resumo dos mecanismos, o “investigador chefe” refere:

A proteína p27 é um inibidor do ciclo celular nuclear que pode ser transportado para o citoplasma para inativar seu papel inibitório e acredita-se que esse mecanismo seja usado pelas células cancerígenas para desbloquear a interrupção do ciclo celular. Relatos recentes, no entanto, mostraram que a p27 tem outros papéis independentes da regulação do ciclo celular, e foi observado que em ratos, mutações da p27 apresentaram maior mortalidade por infarto do miocárdio. Neste processo, analisamos o papel potencial da p27 nos principais tipos celulares do coração e mostramos que ela também está presente nas mitocôndrias, as usinas de energia celular, onde cumpre importantes funções. Descobrimos que a p27 é necessária para a migração de células endoteliais, melhorando as funções mitocondriais e que as concentrações de cafeína alcançadas após o consumo de 4 chávenas de café induzem a sua translocação para as mitocôndrias. Além disso, observamos que a p27 mitocondrial protege as células do músculo cardíaco da morte celular e é necessária para a conversão de fibroblastos em miofibroblastos contrácteis, mecanicamente fortes, um processo crítico após o infarto do miocárdio. Molecularmente, mostramos que a p27 é essencial para alterações de expressão gênica induzidas por cafeína, que afetam principalmente as mitocôndrias e a respiração mitocondrial. Concluímos que a p27 mitocondrial melhora os processos dependentes de mitocôndrias nas células cardíacas e que as concentrações fisiológicas de cafeína têm um efeito protetor.

 

Num resumo menos científico: beber 4 chávenas de café por dia pode ter diversos benefícios, sendo que se destacam os benefícios cardiovasculares!

 

Fontes:

journal PLOS Biology

PLOS Biology in the media – June


Scientific American
https://www.scientificamerican.com/article/the-healthy-addiction-coffee-study-finds-more-health-benefits/
ScienceDaily
https://www.sciencedaily.com/releases/2018/06/180621141008.htm
The Independent
https://www.independent.co.uk/life-style/health-and-families/coffee-four-cups-day-heart-health-conditions-study-caffeine-effects-a8411231.html
Revista FORBES
https://www.forbes.com/sites/alicegwalton/2018/06/22/researchers-figure-out-why-coffee-is-good-for-the-heart/#25759ea756b7

Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here