Há dias deu-me pra “vaguear” pela blogosfera…

Blogs & Redes Sociais

Confesso que hoje em dia não é tão frequente fazê-lo… Conforme sabem aqueles de vocês que me leem de forma mais assídua (sim, vocês que são suficientemente corajosos, pacientes ou excêntricos para tal… 😉) tenho, entre os meus dois empregos, muito pouco tempo livre e a tendência para o utilizar em pesquisas e leituras sobre este tema que me apaixona, o da nutrição e metabolismo humano

…no entanto dei por mim a pesquisar Blogs actuais e pasme-se, alguns deles nada tendo a ver com o tema a que dedico tanto do meu tempo livre. 😉

Com esse “passeio” pela nossa blogosfera, percebi que, alguns anos passados da explosão e moda do Blog como forma de expressão, ainda existem alguns (muitos mesmo…😉) bons Blogs, quer generalistas, quer de temáticas específicas, para todos os gostos, para todos os temas, para os mais diversos níveis de exigência.

Num ponto menos positivo apercebi-me que alguns sites / blogs de referência nacional de expressão Paleo / Primal, estão ao “abandono”  🙄  simplesmente deixaram de publicar… Alguns não “postam” há meses, outros há mais de um ano. Seja porque desistiram dessa forma de expressão por falta de feedback dos seus seguidores, ou porque as vidas profissionais e pessoais nem sempre se compadecem destas nossas paixões, (por enquanto tenho a sorte da minha mulher me ir tolerando esta excentricidade…) ou porque simplesmente se renderam à facilidade e imediatismo das redes sociais…

Vantagens de um site / blog…

Os Blogs / Fóruns / Portais são excelentes repositórios de informação pesquisável. A possibilidade de agrupar informação em menus, catalogar em categorias / etiquetas / criar diversos filtros de pesquisa, faz com que a pesquisa seja muito mais amigável e eficiente. Já a pesquisa de informação numa página ou Grupo Facebook / Instagram ou outra rede social semelhante não é eficiente e frequentemente produz resultados deveras insatisfatórios. Isso acontece porque as redes sociais têm um objectivo de “consumo imediato”. Privilegiam a informação “fast food”, fácil de digerir e “viralizar”, mas que “desaparece” da nossa vista e da nossa lembrança, “enterrada” numa “timeline” de conteúdos constantemente renovados…

“Vantagens” das redes sociais…

As redes sociais são óptimos meios de divulgação rápida, distribuição de informação de forma instantânea (viral) pelos nossos “amigos” ou seguidores. Os algoritmos sociais certificam-se que o meu conteúdo é prioritariamente exposto a quem efectivamente manifesta interesse nele (por gostos ou partilhas anteriores que fez). Da mesma forma “esconde” esse conteúdo de pessoas que habitualmente não o consideram “digno de um gosto ou partilha”.

Blogs & Redes SociaisUma publicação cria-se em segundos com um smartphone e é instantaneamente disponibilizada a milhares de “amigos” permanentemente “ligados”… Assiste-se à banalização de conteúdos, ao viver para o momento, para as aparências e para os “5 minutos de fama”… Hoje em dia os miúdos não querem ser bombeiros ou astronautas… querem ser “Youtubers” ou Instagram “influencers”

Por outro lado e em flagrante contraste com a “futilidade” de muitos perfis, o espírito da maioria dos Grupos Facebook é o de verdadeiras comunidades, onde predominam as partilhas, a genuína entre-ajuda e troca de experiências. A organização de encontros, convívios extra-virtuais são frequentes…

As publicações em redes sociais têm características mais “amigáveis”, aparentemente mais humanas e familiares – partilhamos fotos do cão, do gato, do nosso almoço, da saída com os amigos e da prenda que comprei para o aniversário de casamento ou àquele amigo especial (abençoado Facebook que não me deixa esquecer essas datas e me possibilita fazer boas figuras… 😊).

Considero que os Bloggers estabelecem relações mais estreitas, mais próximas e familiares com os seus leitores. Existe frequentemente um compromisso com os seus “fãs”, de ir publicando com alguma regularidade, existe uma familiaridade nos comentários e “diálogos” que se estabelecem (quando a temática, o “estilo” e a dinâmica do blog a isso convida…), estabelecem-se relações muitas vezes completamente virtuais, mas nem por isso menos humanas. Os blogs são frequentemente autênticos diários, partilhas de sucessos e conquistas, descobertas e “dicas” ou desabafos de tristezas e desilusões, em que facilmente nos revemos, com as quais facilmente nos identificamos.

Fenómeno “bloguista”

Blogs & Redes SociaisO fenómeno dos Blogs, inicialmente potenciado por plataformas como o Blogger, ou no nosso panorama nacional, pelo incontornável Sapo Blogs, entre outros… vieram tornar a escrita online muito mais acessível ao “comum mortal”.

Passou a ser possível sermos “autores”, “cronistas”, verdadeiros “jornalistas de ocasião”. Qualquer pessoa com “veia” literária (ou mesmo uma artéria, tendo em conta as verdadeiras “hemorragias” a que ainda hoje se assiste…😉) podia veicular, expor ao mundo as suas obras, as suas opiniões. Obviamente que com todas as vantagens e desvantagens que tal facto representa… (afinal é essa facilidade e liberdade de expressão que me permite continuar a maçar-vos impunemente… 😉).

Com a popularidade e massificação da disponibilidade de plataformas online de construção de sites, gratuitas e extremamente fáceis de implementar, com recursos e funcionalidades que rivalizam com sites profissionais (Evolução de CMS como JOOMLA, DRUPAL ou o omnipresente WordPress), é muito fácil ter uma presença online com aspecto sério e profissional.

A mesma facilidade que permite “apresentar” o nosso conteúdo com grande qualidade visual e estrutural, dificulta por vezes a percepção da real qualidade / legitimidade e fundamentação desse mesmo conteúdo. A aparência profissional não deve ser principal critério de avaliação, mas é frequentemente um dos principais factores.

 

Cuidados a ter na blogosfera…

Blogs & Redes Sociais. Cuidados a ter...

No que diz respeito a temáticas como a nutrição, bem estar e saúde, existe a “agravante” de uma credibilidade acrescida se, para além do aspecto cuidado e profissional, o(s) responsáveis pelo conteúdo se apresentarem de bata branca 😉, e/ou se intitularem Drs… 😉 (ressalvo que a menos que se trate de um Nutricionista que se mantenha actualizado, ou um médico de outra especialidade que por interesse próprio entenda dever pesquisar, aprofundar conhecimentos nutricionais, um médico, seja cardiologista, urologista, clínico geral ou outra especialidade, pode não saber mais sobre nutrição, que o “comum mortal”. As suas formações específicas abordam a nutrição muito superficialmente…).

Quando deparamos com um site / Blog ou portal com conteúdo aparentemente de qualidade e abordando o mesmo uma temática técnico / científica, devemos ter o cuidado de verificar as fontes:

A maioria dos artigos identifica as fontes e idealmente coloca links para as mesmas?

Se afirmativo, as fontes que cita são confiáveis?

São de “personalidades” conhecidas como credíveis nessa área?

No caso de estudos apontados como suporte, os mesmos têm um nível de evidência capaz de dar suporte às afirmações feitas? (publiquei artigos sobre como distinguir os vários níveis de evidência, aqui e aqui…entre outros artigos…)

Devemos ter um espírito crítico na interpretação de tudo o que pesquisamos e lemos na Internet. A mesma liberdade de criação e expressão permite igualmente a difusão de Mitos e falsa informação (e “Fake News”… ).

Até mesmo as publicações feitas por órgãos de comunicação social, sobretudo os generalistas, devem ser sujeitas aos mesmos cuidados de interpretação. Em temas nutricionais, são frequentes as publicações de artigos com conclusões definitivas e convictas, assentes em evidências que não foram sequer concebidas para serem conclusivas ou comprovarem teorias e sim simplesmente levantar possibilidades / hipóteses, novas teorias. Frequentemente tal acontece porque quem escreve (sejam jornalistas ou não) não tem a formação / orientação para analisar a metodologia, os parâmetros e a qualidade de um estudo, ou mesmo distinguir os níveis de evidência… pode nem ser a intenção de publicar “Manchetes” ou títulos polémicos, mas frequentemente é o caso! (já falei sobre esse tema aqui).

Em conclusão…

Em jeito de conclusão transmito-vos a minha opinião de que a blogosfera está viva! Pode já ter sido mais saudável, mais pulsante e enérgica, mas continua a ter muito para oferecer, quer de um ponto vista mais lúdico, quer como fontes de informação e debate de ideias. Existe na internet um ou mais blogs que “têm a vossa cara” 😊, que esperam apenas que os descubram, que lhes deem uma oportunidade!

Desafio-vos a que partilhem na caixa de comentários abaixo os blogs que mais gostam, ou a que pesquisem até encontrar um ou dois blogs com que se identifiquem!

A propósito e para vos inspirar, deixo-vos algumas sugestões de pesquisas:

Blogologia – Top 10 Blogs Portugueses

Revista SábadoEstes são os bloggers mais influentes de Portugal

Media Capital3ª edição Blogs do Ano e respectivos vencedores...

Print Friendly, PDF & Email

4 COMENTÁRIOS

  1. Olá
    Gosto muito de ler os seus artigos. Muitas vezes tiram algumas das minhas duvidas
    Os blogs que eu sigo são de comida casal mistério, Healthy Bytes e glúten free com paixão
    Detesto a Ana Bravo mas deve ser mania minha. Há uns anos fui a uma consulta de nutrição dela e detestei-a pouco falou comigo fez uma lista de alimentos chapa 7 e no final aconselhou-me a comer bolachas de arroz quando tivess3 fome e que fosse à farmácia comprar crómio por causa da minha necessidade de doces

  2. E como sempre… é um prazer ler-te. Simples, objectivo, claro, com linguagem acessível só comum mortal. Obrigada pela pachorra que tens para nós aturar e pelo precioso tempo gasto nas tuas pesquisas que usas para nos tornares um bocadinho menos ignorantes. É já agora… Obrigada à tua esposa por te permitir esta excentricidade de nos querer ensinar sobre nutrição. Beijo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here