Adolescentes com um forte aperto de mão – um indicador de força muscular total – têm melhores chances de serem saudáveis ao longo do tempo, de acordo com um estudo de dois anos com 368 crianças / jovens. As descobertas fornecem informações para identificar jovens com risco futuro de desenvolver diabetes e doenças cardiovasculares.

 

Enquanto outros estudos demostraram que a fraqueza muscular medida pela força da preensão (força medida por aperto com uma mão “hand grip”, é um preditor de maus resultados em saúde – incluindo doenças cardiovasculares e metabólicas, incapacidade e até mortalidade precoce – este é o primeiro a fazê-lo para a saúde do adolescente ao longo do tempo, um investigador da Universidade de Baylor, refere: “O que sabemos sobre as crianças / jovens de hoje é que, devido à prevalência de obesidade, elas correm mais risco de desenvolver pré-diabetes e doenças cardiovasculares do que as gerações anteriores“, disse o investigador sénior Paul M. Gordon, PH.D, professor catedrático responsável pela cadeira de Saúde, Desempenho Humano e Recreação na Faculdade Robbins de Saúde e Ciências Humanas de Baylor. “Este estudo fornece vários instantâneos ao longo do tempo que fornecem mais informações sobre a força de preensão e os riscos futuros para o desenvolvimento de diabetes e doenças cardiovasculares“, afirma ele. “A baixa força de preensão poderia ser usada para prever o risco cardio-metabólico e para identificar adolescentes que beneficiariam de mudanças no estilo de vida, para melhorar a aptidão muscular“.

 

O estudo – “Força de Preensão está Associada à Manutenção e Melhoria da Saúde Longitudinal em Adolescentes” (“Grip Strength is Associated with Longitudinal Health Maintenance and Improvement in Adolescents”) – foi publicado no “Journal of Pediatrics”. O estudo foi conduzido por pesquisadores da Baylor University, da University of Michigan e da University of New England. Os alunos analisados no estudo foram avaliados no outono do quarto ano e no final do quinto ano. Usando as normas para as forças de preensão em meninos e meninas, os pesquisadores mediram a força de preensão dos alunos, nas suas mãos dominantes e não dominantes, com um instrumento chamado dinamômetro de preensão manual. Pesquisadores descobriram que, inicialmente, 27,9% dos meninos e 20,1% das meninas foram classificados como fracos. No decorrer do estudo, meninos e meninas com problemas de resistência tiveram uma probabilidade três vezes maior de piorar na saúde ou manter um mau estado de saúde do que aqueles que eram classificados como “fortes”. Os pesquisadores também pesquisaram e analisaram outros indicadores de fatores de risco metabólico, incluindo atividade física, aptidão cardiorrespiratória, composição corporal (proporção de gordura e massa livre de gordura), pressão arterial, história familiar, lipídios no sangue em jejum e níveis de glicose.

Mesmo depois de levar em conta outros fatores como aptidão cardiorrespiratória, atividade física e massa corporal magra, continuamos a ver uma associação independente entre a força de preensão e a manutenção da saúde cardio-metabólica e melhorias na saúde“, disse Gordon.

Embora muita ênfase tenha sido dada aos benefícios de uma “dieta nutritiva” e atividade aeróbica, este estudo sugere que é necessário dar maior ênfase à melhoria e manutenção da força muscular durante a adolescência. Se alguém com um aperto forte desenvolve um aperto ainda maior, “não vemos necessariamente uma melhora drástica na saúde do indivíduo“, observou Gordon. “É a baixa força que nos coloca em risco. Dado que a força de preensão é um indicador simples para todas as causas de morte, morte cardiovascular e doença cardiovascular em adultos, pesquisas futuras são certamente necessárias para entender melhor como a fraqueza durante a infância se estende até a idade adulta“, disse ele. “Testar a força de preensão é simples, não invasivo e pode ser feito facilmente no consultório de um profissional de saúde. Ele tem valor para adultos e crianças“. * Estima-se que 17,2% das crianças e adolescentes dos EUA com idade entre 2 a 19 anos são obesos e outros 16,2% estão com excesso de peso, de acordo com o Centro Nacional de Estatísticas de Saúde.

O excesso de peso acarreta um maior risco de diabetes e doença cardíaca prematura durante a vida. Enquanto a Organização Mundial da Saúde e o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA recomendam que os jovens realizem pelo menos 60 minutos de atividade física moderada a vigorosa diariamente – incluindo atividade vigorosa pelo menos três dias por semana – menos de um quarto das crianças americanas então, de acordo com um relatório da organização sem fins lucrativos “National Physical Activity Plan Alliance”.

 

 

Fontes:

Grip Strength Is Associated with Longitudinal Health Maintenance and Improvement in Adolescents.

Mark D. Peterson, Paul M. Gordon, Sonja Smeding, Paul Visich

The Journal of Pediatrics, 2018

Print Friendly, PDF & Email

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here