O que de todo NÃO COMER

numa Dieta Paleo / Primal / Ancestral e eu diria ainda mais… EVOLUTIVA!

As razões que nos levam a defender este tipo de Dieta tem a ver com a nossa evolução enquanto espécie. Como já foi referido a humanidade existe há milénios e temos o nosso metabolismo e todo o sistema digestivo adaptado e optimizado para uma Dieta que nos acompanhou na esmagadora maioria desse período. A própria agricultura e consequentemente a maior disponibilidade de vegetais, legumes, leguminosas, frutas e cereais, em termos históricos e evolutivos, ocorreu há meros instantes…o que não quer dizer, obviamente, que todos os alimentos proporcionados pela agricultura, sejam estranhos e prejudiciais ao nosso organismo… mas alguns são! 🙂

Nos tempos que correm, com a acentuada industrialização e processamento alimentar, temos produtos que não existiam até há meia dúzia de décadas e com ingredientes que nem eram considerados “alimentos”.  A modernização trouxe conforto, mais segurança, mais tecnologia, mas não necessariamente mais qualidade de vida e definitivamente não melhores opções nutricionais.

ALIMENTOS NÃO…

Assim, entre os “alimentos” que recomendamos RETIRAR da vossa Dieta de orientação Paleo / Primal / Ancestral…Evolutiva 🙂

A não comer

  • Grãos (cereais) como trigo, cevada, centeio, etc…;
  • Açúcares: nada de açúcares refinados, pastelaria, etc
  • Bebidas industrializadas: refrigerantes, sumos “naturais”, cervejas, etc
  • Óleos vegetais refinados, polinsaturados, altamente processados;
  • Óleos / Gorduras vegetais hidrogenadas (ex: margarinas);
  • Óleos / gorduras interesterificadas;
  • Produtos processados / industrializados, com aditivos, intensificadores de sabor, corantes, emulsionantes, conservantes, etc…;

ALIMENTOS “NIM”…

A consumir moderadamente e de acordo com os níveis de sensibilidade de cada indivíduo:

Lacticínios

Dar preferência a lacticínios mais curados (maior tempo de fermentação) como os queijos mais curados (mais amarelos);

Para além da sensibilidade ou mesmo intolerância à lactose, há que ter em conta a sensibilidade à caseína, muito frequente;  pois o maior tempo de cura / fermentação, proporcionalmente reduz a percentagem de lactose e caseína nos alimentos. A caseína é uma proteína, presente em grande quantidade nos lactícinios e que pode desencadear reações alérgicas ou inflamatórias no intestino, sendo que pode produzir agravamento dos sintomas de Síndrome de Intestino Irritável, Doença de Crohn entre outras.

Leguminosas

Sobretudo leguminosas secas, como feijão, grão, etc…). As leguminosas frescas ou em vagem são mais toleráveis e contêm menos antinutrientes (ácido fítico, lectinas, etc…); O seu consumo deve ser feito com moderação e as devidas precauções na preparação. Falei sobre isso neste artigo.

Açúcares Naturais

A usar mesmo muito pontualmente e damos naturalmente preferência a açucares não processados como o mel, xaropes de tâmaras e à utilização de frutas maduras como bananas e tâmaras, como adoçantes naturais… Sobre açúcares e adoçantes (o bom e o mau), escrevi sobre isso aqui…

Gorduras vegetais hidrogenadas (margarinas)

São gorduras criadas artificialmente através da hidrogenação de óleos vegetais refinados, sujeitos a um processo (hidrogenação) em condições de alta pressão com hidrogénio e alta temperatura e durante bastante tempo, tornando-os gordura (sólida). Esse processo gera diversas moléculas novas, artificiais, gerando as chamadas gorduras trans.

Gorduras interesterificadas

São óleos que foram modificados quimicamente. Gorduras interesterificadas são obtidas a partir de mistura de óleo vegetal totalmente hidrogenado (gorduras saturadas) e óleos vegetais líquidos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here